segunda-feira, 25 de abril de 2011

Está chegando a hora...

Contagem regressiva para a realização do Seminário de Avaliação de Desempenho na UNIP!


As equipes estão se esforçando ao máximo para darem o melhor neste evento que será com certeza um marco na vida de todos e na faculdade.


Você que ainda não fez sua inscrição, hoje à noite será o ultimo dia. Corra para que você aproveite essa grande oportunidade de aprimorar seus conhecimentos.


Um abraço à todos!

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Pesquisas Internas de Avaliação

Pesquisas Internas de Avaliação

Pesquisa interna
O que a organização precisa; pessoas necessárias para a tarefa organizacional.
A pesquisa interna é feito através da verificação das necessidades da organização em relação às suas carências de recursos humanos, a curto e longo prazo.
 Recrutamento Interno
·         O preenchimento das vagas e oportunidades é feito pelos próprios funcionários atuais.
      Os funcionários internos são os candidatos preferidos
      Isto exige que sejam promovidos ou transferidos para as novas oportunidades.
      A organização oferece uma carreira de oportunidades ao funcionário.

Rerefências bibliográficas
Idalberto Chiavenato
Gestão de Pessoas
Segunda Edição, Totalmente Revista e Atualizada

Equipe 01
Jucicleia
Marcela
Marizane
Nubia
Thiago

quarta-feira, 13 de abril de 2011

REFLEXÃO

Antes de querer mudar o mundo, mude-se

Com o mercado altamente competitivo, o qual se pode notar pelo grande número de concorrentes, pelas menores possibilidades de errar e ainda manter-se no mercado, surge a necessidade de aprimoramento contínuo. Em função destes fatos, cada vez mais se fala em mudanças de paradigmas. As empresas e, principalmente, os profissionais precisam rever seus conceitos relativos ao modo de como lidar com os eventos do dia-a-dia.
É necessário romper barreiras, abandonar as concepções de como a realidade é ou como acreditamos que ela seja, enxergar onde outros não enxergam e admitir que temos que nos adaptar sempre aos novos acontecimentos e que isso implica em rever constantemente nosso modo de agir e pensar.
Aprender hoje não se dá pelo acúmulo de conhecimento, e sim pela capacidade de refinar aquilo que estamos vendo, ouvindo, sentindo na pele, para daí formarmos um modo de agir centrado na necessidade de ser o melhor sempre. Contudo, ser o melhor não significa ser melhor que alguém ou alguma empresa. Ser o melhor significa ultrapassar nossos limites.
O começo das mudanças se dá pela humildade em admitir que temos muito a melhorar sempre. Em seguida, observar outros profissionais de sua área, não necessariamente somente do seu ramo de atividade, mas outros profissionais que você considera que sejam bons ou de preferência excelentes e verá que existe muito a aprender e que muita coisa pode ser feita.
Busque conhecimento técnico através de livros, revistas especializadas, cursos, palestras, Internet e conversas com outros profissionais. Porém, lembre-se de que há dois pontos importantes a serem considerados: o primeiro é existir uma tendência em buscarmos conhecimento apenas de assuntos diretamente relacionados ao nosso ramo, profissão ou dia-a-dia e que perdemos muito ao não considerarmos outras áreas que podem ajudar de forma direta ou indireta na nossa formação e competência; o segundo, nenhum conhecimento será útil se não puder ser traduzido em algum tipo de ação prática que venha agregar valor ao nosso cotidiano.
Não se perca em detalhes que não acrescentam, pois, em geral, eles apenas tomam tempo e o resultado final é uma considerável perda do foco. Avalie-se constantemente e descubra em que evoluiu e em que deve melhorar. Aprenda a se relacionar com pessoas, pois isso definirá muito de como as oportunidades e ameaças acontecerão em sua vida pessoal ou profissional. Outrossim, lembre-se, por mais delicada que seja a situação, de que sempre existem dois lados e que não necessariamente você sempre está certo.
Bem, são muitos os pontos, e nenhum deles é uma regra, mas servem para mostrar que temos a melhorar e que tal intento é possível, basta para isso nos disponibilizarmos e buscarmos os meios para que isso aconteça.

Para onde vai a Gestão de Pessoas?

Alinhar as compêtencias humanas às estratégias de negócios das organizações, identificar quais são as tendencias que impulsionarão tais mudanças na visão dos profissionais de RH.
As pessoas como recursos ou parceiros da organização:
ARH é a função na organização que está relacionada com provisão, treinamento, desenvolvimento, motivação e manutenção dos empregados.
Processos:
  • Agregar: Recrutar e Selecionar
  • Aplicar: Orientar e Acompanhar
  • Recompensa: Remuneração e Beneficio
  • Desenvolver: Capacitação, mudança
  • Manter: Condições ambientais, psicológicos
  • Monitorar: Acompanhar, controlar
Esses processos estão intimamente relacionados entre si de tal maneira que se interpretam e se influenciam reciprocamente. Cada processo tende a favorecer ou prejudicar os demais quando bem ou mal utilizados.

Equipe 9

terça-feira, 5 de abril de 2011

As Macrotendências na Gestão de Pessoas

Equipe 08- Macrotendências
Pode-se traçar um panorama de como a gestão de pessoas está se preparando perante aos desafios futuros (e quais são) das relações de trabalho com o propósito de agregar simultaneamente valor econômico à organização e valor social ao indivíduo.
• Gestão de Pessoas e equipes não é mais monopólio do Rh. Esta descentralização exige novas habilidades do RH e dos gestores. A gestão por competências passa a ser um foco central na gestão de pessoas e equipes, sendo que um dos grandes desafios da área é o de mensurar o quanto agrega de valor para a organização.
• Riscos, Inovação e mudanças é o novo panorama. Exercer a flexibilidade das decisões e risco e a criatividade é estimulado, reconhecidos e recompensados. Responsabilidade social e desenvolvimento sustentável são novas exigências no mundo corporativo.
• A tecnologia da informação acelera novas formas de gestão de pessoas e equipes. O tele trabalho substitui o escritório e bancos de dados atualizam e disponibilizam informações sobre pessoas.
• As organizações estão ajustando as exigências trabalhistas à realidade do mercado. Os vínculos empregatícios são substituídos por parcerias, surgindo novas formas de trabalho, por tanto a abertura dos dados de desempenho da empresa passa a ser fundamental.
• A dimensão humana é vital ao sucesso do negócio. As pessoas querem ser tratadas como pessoas resultando em maior lucratividade. Os estilos passam a ser mais abertos e participativos, conduzindo à construção de uma visão compartilhada e comprometida de todos.
• A qualidade de vida se alojou na expectativa das pessoas. As empresas estão buscando oferecer programas de qualidade de vida, onde terapias complementares é um caminho para obter essa qualidade, uma vez que considerem as pessoas na sua integralidade e a busca de significados espirituais no trabalho é crescente.
Pode-se destacar que o fator mudança implica em um cenário que dificulta a implantação de programas rígidos, surgindo um tipo de gestão da desordem caracterizada por uma realidade sempre mutável, repleta de paradoxos.
Contudo o líder deve garantir que o desequilíbrio psíquico causado pelas transformações no ambiente tenha suas conseqüências minimizadas nos indivíduos. Isso requer a administração do significado das mudanças organizacionais, ou seja, como as mudanças serão interpretadas pelos indivíduos e como elas vão influenciar na construção dos novos padrões de identidade.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Pessoas como receitas e não como custos

                                                  Pessoas como receitas e não como custos
- Quando a organizações são bem sucedidas , elas tendem a crescer ou, no mínimo, a sobreviver.

- Com tudo isso se assegura que os recursos financeiros e tecnológicos sejam utilizados com eficiência
e eficácia. E as pessoas passam a significar o diferencial competitivo que mantém e promove o sucesso
organizacional.

- Em vez de investirem diretamente nos produtos e serviços, elas estão investindo nas pessoas que entendem
deles e que sabem como criá-los, desenvovê-los, produzí-los e melhorá-los. Em vez de insvestirem nas
pessoas que os atendem e os servem e que sabem como satisfazê-los e encantá-los. As pessoas passam a constituir
o elemento básico do sucesso empresárial.

- A estratégia contitui a abordagem geral que a organização adota, para assegurar que as pessoas possam cumprir
adequadamente a missão organizacional.

quinta-feira, 31 de março de 2011

Olá Colegas do blog!


Ontem tivemos uma reunião da liderança do Seminário de AD. Debatemos alguns pontos como a divulgação in loco do evento e alguns detalhes que serão repassados aos demais colegas pelo seu líder. Vale ressaltar que todas as equipes deverão sintetizar suas temáticas e repassar até segunda-feira (4) à Ivane para que seja montado o fôlder explicativo dos temas abordados.
Qualquer dúvida, dirijam-se ao seu lider que terão maiores esclarecimentos.


Lembro-lhes também que na sexta e sábado, teremos duas palestras fabulosas com os seguintes temas: Relações Interpessoais e Logística e Sistemas de Automação. As inscrições serão até hoje à noite.


Um abraço à todos.